Americanas - Submarino

UOL Antivírus

domingo, 27 de abril de 2014

Atividades pedagógicas

Anuncio, aqui, minhas atividades como professor particular de música.
Aceito pagamentos com cartão de crédito.


Para saber os preços, entre em contato:
(11) 2367-6905
(11) 9-7274-2467
ehtobi@gmail.com

sábado, 29 de março de 2014

CD Premières Sinfonia Cultura

Ainda é possível encontrar o CD "Premières - Sinfonia Cultura", primeiro registro da já extinta Sinfonia Cultura, Orquestra da Rádio e TV Cultura sob a regência de Lutero Rodrigues. Trata-se da gravação ao vivo das quatro obras vencedoras do Concurso Nacional de Composição Sinfonia Cultura - SBMC, entre as quais a minha "Primavera Tripartida". O concerto de premiação se deu no teatro do SESC Belenzinho em 2000.



As faixas são as seguintes:

 1-4  Estudos Sinfônicos (Luciano Guimarães)
 5-7  Primavera Tripartida (Edson Tobinaga)
8-16 Nove Cromos (Marcus Siqueira)
  17   Sinfonia (Vinicius Calvitti)


O CD pode ser adquirido por R$ 14,90 nas Lojas Americanas:
http://www.americanas.com.br/produto/5844512/cd-sinfonia-cultura-premieres?franq=AFL-03-103804

e na Submarino:
http://www.submarino.com.br/produto/5844512/cd-sinfonia-cultura-premieres?franq=AFL-03-103804


Sobre o CD, vale a pena ler o que escreveu o saudoso J. Jota de Moraes:
http://ehtobi.blogspot.com.br/2012/06/j-jota-de-moraes.html

quinta-feira, 13 de março de 2014

DVD Yellow Submarine


Uma delícia saber que ainda consta das prateleiras de nossas melhores lojas e livrarias o DVD Yellow Submarine (2012), em edição comemorativa dos 45 anos de lançamento dessa belíssima produção de 1968.
Vale muito a pena assistir aos Beatles como personagens de desenho animado, embalados por sucessos como a canção-título, "Eleanor Rigby" e "Lucy in the Sky with Diamonds", em um submarino amarelo que nos faz mergulhar no colorido e na estética pop dos anos 60: uma viagem inesquecível para os olhos, os ouvidos e a mente.

Esse verdadeiro clássico da animação pode ser adquirido à loja virtual Submarino em duas versões:
1) mais simples:
http://www.submarino.com.br/produto/6725759/dvd-yellow-submarine-beatles?franq=AFL-03-103804

2) com extras:
http://www.submarino.com.br/produto/111525432/dvd-the-beatles-yellow-submarine?franq=AFL-03-103804

Também o CD pode ser adquirido à mesma loja:
http://www.submarino.com.br/produto/111525459/cd-the-beatles-yellow-submarine?franq=AFL-03-103804

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Hans Werner Henze (1926-2012)

É com profundo pesar que noticio a morte do grande compositor alemão Hans Werner Henze, ocorrida no último sábado em Dresden. Reproduzo, abaixo, comunicado pela Sociedade Brasileira de Música Eletroacústica.


A Sociedade Brasileira de Música Eletroacústica comunica:

Morreu sábado, 27 de outubro, aos 86 anos, o compositor alemão Hans Werner Henze.
Henze nasceu em Gütersloh em 1º de julho de 1926.
Viveu na Itália e ficou conhecido por suas opiniões políticas marxistas, que influenciaram a sua obra. Trocou a Alemanha pela Itália em 1953, em razão da intolerância às suas posições políticas e à sua homossexualidade. Membro do antigo Partido Comunista Italiano, Henze produziu composições em homenagem a Ho Chi Min e a Che Guevara, entre elas o Réquiem intitulado Das Floss der Medusa (A Balsa de Medusa), cuja estreia foi vetada em Hamburgo em 1968.
Henze compôs em vários estilos, tendo sido influenciado pela música atonal, por Stravinsky, pela técnica dodecafônica, pelo estruturalismo e por alguns elementos da música popular, do rock e do jazz.
A música universal está de luto.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Fernando Palmari

Mais uma nota triste neste ano de 2012: faleceu no dia 9 de julho, em Atibaia, Fernando Palmari, compositor, artista plástico, poeta, dramaturgo.
Sua vasta obra musical compreende canções líricas, canções de caráter popular, música de câmara, peças para piano, peças sinfônicas, sambas dos mais diversos gêneros e inspiradíssimas baladas de cunho jazzístico em andamento moderato slow.
Tive o prazer de assinar os arranjos de muitas de suas composições, além de ter composto com ele a ópera  As Romãs se Repetem, o que nos aproximou na arte e que, para mim, foi fundamental para crescer artisticamente.
Também tive a honra de participar de inúmeros eventos promovidos por esse incansável agitador cultural.
Mas o principal mesmo foi a amizade sincera, profunda, que cultivamos ao longo de vinte anos.
Sentirei saudade de nossas longas conversas sobre todas as formas de arte, sobre o cotidiano, sobre coisas as mais banais, sobre a vida...
Só há que se lamentar que o legado desse "artista de sonho e alumbramento", como ele mesmo se definia, não lhe tivesse rendido o devido reconhecimento em vida, pois se trata de uma obra rica, singular, plena de beleza.



quarta-feira, 13 de junho de 2012

J. Jota de Moraes

Foi com imenso pesar que recebi a notícia da morte de J. Jota de Moraes, aos 69 anos, em decorrência de problemas respiratórios.
Grande colaborador do Jornal da Tarde (de 1972 a 2003), foi, sem dúvida, o maior crítico musical do país. Reproduzo, abaixo, texto de sua autoria por ocasião do lançamento do CD Premières Sinfonia Cultura em 2001.


Em CD, os novos nomes da música erudita brasileira

O álbum Première traz a primeira gravação da orquestra Sinfonia Cultura e o registro de obras de quatro jovens compositores brasileiros

J. Jota de Moraes

Première é o título do CD do selo Paulus no qual há duas estréias: trata-se da primeira gravação da Sinfonia Cultura, sob regência de Lutero Rodrigues, e também do registro inaugural de obras de quatro jovens compositores brasileiros. Eles são: Luciano Guimarães, Edson Tobinaga, Marcus Siqueira e Vinícius Calvitti. Assim, este compact disc tem dupla importância.

O Brasil, infelizmente, é pobre em orquestra e paupérrimo em boas orquestras sinfônicas. Organismos de manutenção cara, elas não vêm recebendo do governo a atenção que merecem. Quase sempre, vivem em crise ou à míngua e seus músicos, em geral, acabam por realizar o seu trabalho por razões mais alimentares que propriamente artísticas. Todos acabam sofrendo com isso - os músicos, pela vida precária que freqüentemente levam, e os ouvintes, pela música de qualidade medíocre que são obrigados a ouvir.

A Sinfonia Cultura, orquestra da Rádio e TV Cultura de São Paulo, é mantida pela Fundação Padre Anchieta. Criada em 1998, ela vem realizando um trabalho respeitável, ainda que nem sempre de altíssimo nível artístico. Muito nova, espera-se que ela amadureça, sem entretanto cair no "funcionalismo" que contamina tantas outras orquestras brasileiras. Seu efetivo relativamente pequeno, de 55 músicos, exige ainda mais virtuosismo de seus integrantes e maior interação entre os vários naipes. E não é só porque, na atualidade, é a única a pertencer a uma emissora de rádio e televisão no Brasil que ela deva se acomodar - bem ao contrário.

Em parceria com a Sociedade Brasileira de Música Contemporânea, a gravadora Paulus e a Ponteio Publishing, Inc., com sede em Nova York, a Sinfonia Cultura promoveu o Primeiro Concurso Nacional de Composição, realizado em 2000. O CD Première é dedicado às obras vencedoras.

Os quatro jovens compositores escolhidos se debatem com os problemas da crise geral da linguagem musical que o século 20 evidenciou. Diante de tantas e radicais obras-primas nascidas nesse período, eles se esforçam em se exprimir de maneira pessoal. Em 4 Estudos Sinfônicos, Luciano Guimarães tenta a aventura curiosa de aliar traços do minimalismo à música indígena e de inspiração folclórica. Edson Tobinaga, em Primavera Tripartida, busca na rarefação do pontilhismo sonoro estabelecer uma ponte entre Ocidente e Oriente. Já Marcus Siqueira, em Nove Cromos para Orquestra, risca no espaço-tempo uma série de arabescos bem cativantes, revisitando momentos da História da Música com imaginação. A Sinfonia, de Vinícius Calvitti, por sua volta, é mais convencional no seu apelo aos pólos tonais e à discursividade do material temático. Todos eles são talentosos e dão-nos a esperança de ainda vir a frutificar com maior originalidade.

Do ponto de vista técnico, a gravação coloca muito relevo na percussão e nos instrumentos de sopro. As cordas, em geral nem sempre proeminentes, soam um tanto opacas.


Jornal da Tarde, 5 de outubro de 2001.